UNÇÃO: A provisão para cumprir o propósito de Deus

Deus é organizado e perfeito. Não perfeccionista, mas perfeito. Sempre que Ele chama, também capacita e nunca cobra além da nossa função ou forças. Há uma diferença enorme entre planejar e fazer, entre ter uma ideia e colocá-la em prática. É exatamente aí que entra a unção.

O que é unção, senão a capacitação espiritual dada pelo Espírito Santo para a realização dos propósitos de Deus (At 1.8)? Vemos por toda a Bíblia o Senhor derramando a unção para que Sua vontade e propósitos fossem levados a cabo.

Homens de diferentes estruturas sociais, culturais, e também mulheres foram cheias da unção do Espírito para a realização da vontade e propósitos do Senhor durante a história da humanidade (Adão, Moisés, Davi, Paulo, Jesus, etc). Deus não faz acepção de pessoas para a salvação, mas escolhe Seus fiéis para realizar Seus propósitos (At 13.1-3). Ele também estabelece cada unção de acordo com cada função, e de acordo com o propósito da obra, Ele escolhe a pessoa e a unção para a realização dessa obra será proporcional! Se a função for mais simples, a unção fluirá menos; se a obra for de grande alcance a unção derramada será maior. Se assim não fosse Deus seria Covarde, e sabemos que Ele não é Covarde!! Ele derrama a unção proporcional na pessoa escolhida e com propósito definido; Ele é organizado!

A UNÇÃO NUNCA SERÁ MAIOR OU MENOR QUE A FUNÇÃO A SER REALIZADA. Deus não é Covarde! Ele não nos mandará fazer aquilo pelo qual Ele mesmo não nos capacitou (Gn caps. 3 e 4 todo). Ele, em Sua infinita sabedoria e amor por nós, não nos mandaria evangelizar o mundo, curar os enfermos, ressuscitar os mortos, restaurar a sociedade segundo a Sua Palavra e Vontade, dizendo: “A partir de hoje, a Minha Igreja terá exatamente 30 dias para evangelizar o mundo inteiro e salvar muitas pessoas para Mim!” Não, de forma alguma Ele faria assim, pois é um Deus coerente e não é Covarde; Ele sabe que Sua Igreja é lenta e não a tentaria com tal ordem. Ora, se ela não conseguiu fazê-lo em séculos, mesmo depois de tantas manifestações, como o faria em apenas 30 dias? Todavia, entretanto, ELE TAMBÉM NÃO ACEITA o fato de ter chamado tantas pessoas ao serviço e estas pessoas ignorarem a unção derramada sobre elas para realizar Seus propósitos. Ou seja, Deus não é Covarde, mas também não tolera a covardia… Ao chamar alguém Ele mesmo dispensa Sua unção capacitando o chamado para que realize Sua vontade e propósito, mas o chamado deverá se dispor, ou o propósito não será realizado.

Quando fomos chamados (conversão) começamos a sentir alguns desejos em nossos corações a respeito dos trabalhos na igreja: evangelismo, teatro, louvor, células, intercessão, discipulado, ensino, etc. Tal desejo está relacionado, de uma forma ou de outra ao chamado de Deus para a nossa vida. Ainda que você passe por vários tipos de trabalhos numa igreja durante anos, é bom saber que todas as experiências ministeriais que teve e terá servirão para o seu aperfeiçoamento e amadurecimento até chegar em seu serviço final (Ef 4.11-13). Doravante, toda a unção derramada e todo o serviço e experiências passadas deverão convergir para apenas um caminho: O CUMPRIMENTO DOS PROPÓSITOS DE DEUS. A unção, então, é a (pro)visão para o cumprimento de uma visão (propósito) específica. Por não ser Covarde, mas Coerente e Amoroso, o Senhor, ao colocar em nossas vidas uma visão poderosa, Ele também provê as necessidades para seu cumprimento; a UNÇÃO ESPIRITUAL, então, fará o seu papel!

Irmãos queridos, no dia em que a obra de Deus se tornar pesada para nós, significa que estaremos realizando-a com nossas próprias forças. Ora, se a unção do Espírito é a (pro)visão para que realizemos a obra para Deus na Igreja, e é ela quem nos faz mover e vencer, se cansarmos chegamos a conclusão que não fomos capacitados a realizar tal obra, pois Deus só derrama Sua unção quando tem um propósito específico a realizar.

Não sentir vontade de trabalhar na obra do Senhor pode caracterizar um problema sério de conduta espiritual (rebeldia, desânimo, desvio, etc). O Evangelho de João cap. 15 é claro nesse princípio. Ele fala de árvore, ramos e frutos; machado, corte e fogo. Ele associa obviamente que TODOS os chamados por Deus (convertidos) frutificarão naturalmente, e usa o ciclo de crescimento de uma árvore para mostrar esse princípio. Isso é maravilhoso aos nossos olhos, mas também sério e prático.

Todo chamado tem visão de crescimento porque Deus tem visão de crescimento através da evangelização. Ele quer que todos os homens saibam sobre Seu Plano maravilhoso (Jo 3.16). Então, qual a visão principal do Senhor para a Igreja Neotestamentária (período da Igreja entre a ressurreição de Cristo até a Sua volta) hoje: que os homens ouçam o Evangelho e venham ao arrependimento de seus pecados, reconciliando-se com Deus Pai através do sacrifício vicário (de cruz) de Seu Unigênito, recebendo-O como Salvador pessoal. “Mas está visão é muito grande para nós! Não estamos conseguindo; estamos muito cansados e atarefados para isso. Não temos tempo…”, dizem muitíssimos cristãos atualmente. Com esses o Senhor não poderá contar, infelizmente. Mas há, ainda hoje, aqueles que dizem: “Eis-me aqui, Senhor! Envia-me a mim…”. Ainda há aqueles que têm entendido o chamado do Senhor a respeito desse propósito e não farão pouco caso da unção que Tem derramado sobre eles. Portanto, precisamos nos dispor HOJE (AGORA) a ir e cumprir o chamamento de Deus para nós. Temos o chamado e a unção de Deus para o trabalho evangelístico; não precisamos esperar por mais nada!

Nossa visão deve ser evangelizar todos quanto pudermos. Recebemos uma visão. É grande demais pra nós? NUNCA! Porque? Porque Deus não é Covarde. Quando Ele chama, Ele também derrama a unção espiritual, a qual nos capacita a realizar Seus propósitos e vontades. Somente não conseguiremos realizar esta obra se formos covardes e negligenciarmos o chamado e a provisão de Deus. Automaticamente, quando sentimos o chamado, sentimos também uma motivação para realizá-lo. O SENHOR PROVERÁ TUDO O QUE NECESSITARMOS PARA A REALIZAÇÃO DE SEUS PROPÓSITOS EM NÓS E ATRAVÉS DE NÓS. Aleluia, graças a Deus!!

Deus amou os homens com tanta intensidade que entregou Jesus Cristo para morrer a morte deles e os redimir, e enviou o Seu Espírito Santo para nos convencer e capacitar-nos a dar continuidade à obra da evangelização mundial. Não podemos negar esse compromisso com um Deus tão maravilhoso!

FINALMENTE, não vamos esquecer de algumas coisas importantes no serviço para Deus:

  1. Ele derramou a unção proporcional aos trabalhos que realizaremos, por isso não é necessário ter medo.

  2. Ele derrama a unção, mas quem realiza o trabalho somos NÓS; isso significa empenho e sacrifício pessoal. Não poderemos desanimar ou parar.

  3. Precisamos lembrar também que Ele não aceitará menos que o MÁXIMO de cada um de nós, pois Ele deu o MÁXIMO dEle para uma obra maravilhosa e não ficará satisfeito com o nosso MÍNIMO.

  4. A provisão só é derramada mediante comunhão com Deus, pois ela, a (pro)visão fala a respeito da unção necessária e capacitadora para a realização da visão (ou propósito) de Deus através de Sua Igreja. Sabemos que só recebem a visão da vontade e propósitos do Senhor aqueles que estão bem juntinhos dEle, em comunhão estreita.

  5. Lembremo-nos que TUDO o que temos e somos é devido ao Seu amor infinito e graça salvadora. Se assim não fosse, o que seria de nós? Sem Ele estaríamos PERDIDOS…

  6. Deus é bom e misericordioso. Ele nunca lhe cobrará nada além das suas forças. Nunca desista de amá-LO, pois Ele jamais se esqueceu de VOCÊ!

O Senhor te abençoe e te guarde, o Senhor faça resplandecer o Seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti.
O Senhor te dê a PAZ!

Deixe um comentário

wpDiscuz